Análises urbanas: A relação centro periferia em Maringá-PR*

Primeiramente cabe discutir o que seria o conceito de centro e periferia.  Segundo Corrêa (1989) são características das áreas centrais a concentração das atividades gerais da cidade, tais como , o comércio, serviços, da gestão pública e privada, terminais de transporte intra urbanos e inter – regionais. Quanto às áreas periféricas podem ser definidas como locais mais distantes do centro, onde a acessibilidade a serviços, comércio e transportes é mais limitado.

Avenida em Maringá. Foto: LIMA, 2009.

Em Maringá ocorre o mesmo que ocorre no restante do país, um processo de urbanização excludente e desigual, porém maquiado pela mídia regional. Apesar de não existirem favelas a segregação ocorre balizada como uma hierarquização social, que determinou um espaço de moradia aos pobres como sendo áreas distantes da área central. RODRIGUES (2004) foi mais adiante ainda, apontando que a segregação resultante não só em Maringá, como em toda a Região Metropolitana advém de fatores históricos elaborados principalmente por dois agentes: o Estado e os promotores imobiliários.

Ainda segundo RODRIGUES (2004) o que ocorreu em Maringá foi uma espécie de ‘zoneamento por renda’. Neste espaço a hierarquização ocorreu conforme a renda do indivíduo, os que tinham mais capital possuíam as melhores localidades, os que não tinham tantas condições ficavam em área periféricas. Além desse aspecto cabe destacar também as políticas públicas para evitar que se formassem favelas em Maringá, como nos relata RODRIGUES onde, até ‘desrespeitando o direito de ir e vir’ fica claro a preocupação com o marketing de Cidade exemplar, porém que mascara o que acontece de verdade esconde a segregação e a aliança Estado – Capital (no sentido atribuído por Marx e relembrado por CORRÊA, 1989). Ao longo da história de Maringá, diversas vezes ocorre a preocupação com o planejamento. RIBEIRO (2004) faz uma discussão bastante interessante ao apontar que este interesse em planejar tornou-se uma prática que escamoteia, apesar de manter o discurso da importância do planejamento para o bem comum esta responsável pela manutenção das ações especulativas reprodutoras dos processos de desigualdade.

 Quanto a essa relação de centro-periferia visto no contexto da Região Metropolitana de Maringá. pode-se ver a polarização de atividades no centro ‘cidade canção’ e, localizado ao seu entorno locais com uma população que apresenta qualidade de vida inferior. A partir disso RODRIGUES (2004) alerta para os riscos de Maringá se beneficiar mais ainda em detrimento aos demais integrantes da RMM.


*Este texto é uma adaptação de outro originalmente escrito por Jonas H. M. de Lima e Tiago A. M. Mendes no segundo semestre de 2009.

Referências consultadas:
ANDRADE, Carlos Roberto Monteiro de & CORDOVIL,  Fabíola Castelo de Souza.   A cidade de Maringá, pr. O plano inicial e as “requalificações urbanas”. Scripta Nova  REVISTA ELECTRÓNICA DE GEOGRAFÍA Y CIENCIAS SOCIALES. Vol. XII, núm. 270 (53) Disponível em: <http://www.ub.es/geocrit/sn/sn-270/sn-270-53.htm> acesso em: 25 nov. 2009.
CORRÊA, Roberto Lobato. O espaço urbano. Ática, 1989.
BOEIRA, José Jair. UEM 2003. Espaço urbano de uma metrópole regional de porte médio: Maringá. Disponível em: <http://www.pge.uem.br/pdf/jjboeira.pdf>  Acesso em: 25 nov. 2009.
 Como andam Curitiba e Maringá / organizadoras Rosa Moura, Ana Lúcia Rodrigues. – Rio de  Janeiro: Letra Capital: Observatório das Metrópoles, 2009. Disponível em: <http://www.observatoriodasmetropoles.ufrj.br/Vol7_como_andam_curitiba_maringa.pdf> acesso em 27 nov. 2009.
GRZEGORCZYK, Vanderlei. Novo centro de Maringá: estratégias e conflitos na produção do espaço urbano. In: MENDES, Cesar Miranda & SCHMIDT, Lizandro Pezzi (org.) A dinâmica do espaço urbano regional: pesquisas no norte- central paranaense., Guarapuava, UNICENTRO, 2006.
Prefeitura Municipal de Maringá. Maringá, 2009. <http://www.maringa.pr.gov.br>
SILVA, Keli de Oliveira.A periferização causada pela desigual urbanização brasileira. Revista Urutágua – revista acadêmica multidisciplinar –  Nº 11 – Dez./Jan../Fev./Mar.2007 – Quadrimestral – Maringá – Paraná – Brasil – ISSN 1519.6178 Departamento de Ciências Sociais – Universidade  Estadual de Maringá (DCS/UEM) disponível em: http://www.urutagua.uem.br/011/11silva.htm  acesso em: 25 nov. 2009.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s